Propriedades rurais precisam de Planejamento Estratégico?

 

O planejamento estratégico é requisito para o sucesso e deve ser feito para curto, médio e longo prazos. Devem ser definidas metas e estratégias para alcançá-las. Sem planejamento não se sabe se realmente chegou-se onde era preciso. Geralmente ouvimos falar de planejamento estratégico para grandes empresas, mas será que mesmo pequenos empreendimentos rurais necessitam de planejamento estratégico? Para responder à essa questão primeiro devemos entender do que se trata.

Conforme Colenghi (2007), o planejamento estratégico é obtido com esforço concentrado da direção da empresa, tendo como fundamento a sua missão e sua definição de negócio considerando-se o levantamento, análise e proposição de soluções mediante um plano de ação que objetive garantir a qualidade desejada pelos clientes da organização.

Quando lemos a definição parece complicado, mas são fundamentos bem práticos, que muitas vezes até fazemos, mas não registramos. Vamos destacar os principais aspectos a seguir.


Missão

         Em primeiro lugar precisamos ter em mente a missão da empresa rural e a definição do negócio. Já falamos sobre a missão no artigo O gerenciamento da empresa rural (http://www.farmpoint.com.br/radares-tecnicos/gerenciamento/o-gerenciamento-da-empresa-rural-69847n.aspx). Vale a pena retomar que a missão identifica o papel da empresa em relação à sociedade. A Missão deve estar orientada para o exterior da organização, nas necessidades da sociedade e dos seus indivíduos (COSTA, 2008), havendo ainda a necessidade de ser pensada para um futuro em longo prazo, deve ter credibilidade, e todos os que trabalham na organização devem conhecê-la, compreende-la, vivê-la e sentir-se atraídos e comprometidos com seus objetivos (ANDRADE, 2008). 


Definição do negócio


         Essa questão parece básica, mas as vezes nos deparamos com produtores que não sabem prontamente responder à questão: qual é o seu negócio?

A definição do negócio é a definição dos produtos e/ou serviços que a empresa fornece, para quais mercados e quais clientes. Vamos exemplificar abaixo dois exemplos.

 



         Veja que no exemplo 01 o foco do produtor é a produção de carne para o mercado local e a entrega da produção será para frigoríficos da região. Já no exemplo 02 o foco é a produção de matrizes para o mercado nacional a fim de atender fazendas que desejam iniciar a criação, aumentar e/ou substituir rebanho. Percebemos que há um foco, o produtor sabe para quem vai vender e o que vai vender. Nada impede que o produtor diversifique seu negócio e atenda a mais de um mercado, o importante é que se tenha uma definição bem clara.


Plano de ação


         O Plano de Ação é elaborado para planejar as ações que são necessárias para que determinado objetivo seja alcançado. Para elaborá-lo deve-se levar em conta a missão da empresa e relacioná-la com as atividades principais naquele ano, considerando os resultados esperados.

Como o nome já diz o Plano de Ação é concebido para desencadear uma Ação, é um planejamento para uma determinada atividade. Para isso um plano de ação deve conter os seguintes tópicos:


a. Objetivo (o que fazer?) 

b. Estratégia (como fazer?)

c. Cronograma (quando fazer?)

d. Responsável (quem irá fazer?)

e. Recurso necessários (o que é preciso para fazer?)

A partir dessas informações vamos elaborar um Plano de Ação bem simples para que possa ter noção desse instrumento. Apresentamos um modelo como exemplo, mas ressaltamos que podem ser elaborados muitos outros conforme a necessidade.

 

Clique na imagem para ampliá-la.



Perceba que um bom Plano de Ação deve muito claro esses principais itens que listamos.

 

Fonte:

http://www.farmpoint.com.br/radares-tecnicos/gerenciamento/propriedades-rurais-precisam-de-planejamento-estrategico-74878n.aspx